CULTURA DA CULPABILIZAÇÃO DA VÍTIMA: NÃO É A ROUPA, É O AGRESSOR! Por Ledeny Gove

Posted by: Elisio Cuna Comments: 0

Infelizmente, na nossa sociedade, casos de violação sexual são comuns, e também e comum as pessoas questionarem prontamente qual era a indumentaria da vítima.

A cultura da culpabilização da vítima está enraizada na sociedade moçambicana.

Para resolvermos esta questão, é preciso que todos estejam engajados. A sociedade precisa de compreender que, num caso de estupro, quem tem a culpa é o estuprador. 

A cultura da culpabilização das vítimas cria um ambiente favorável para a ocorrência de situações de género, uma vez que a vítima é vista como a culpada e, consequentemente, como merecedora da violência sexual, quando a sociedade devia é culpabilizar o agressor.

Um dos casos emblemáticos dessa inversão de papeis é quando a indumentária se torna justificação para a violação sexual, quando até crianças, a quem não se pode falar de nenhuma vestimenta “indecente” ou provocativa”, são vitimas dos abusos sexuais.

Aliás, não são só as meninas que sofrem violações sexuais. Embora casos raros, meninos também são estuprados, como já testemunhou.

Falhamos como sociedade quando apenas alertamos as mulheres e não educamos os homens sobre o assunto! Merecemos paz, e não é a culpa da indumentária, é culpa do agressor!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *